Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

what makes me (you) happy

Ser mulher, gerir uma carreira sob constante stress e, ao mesmo tempo, tentar ter uma vida saudável, nem sempre é compatível. Neste blog, partilho todos os meus truques e dicas para melhorar o dia-a-dia de quem não tem tempo!

what makes me (you) happy

Ser mulher, gerir uma carreira sob constante stress e, ao mesmo tempo, tentar ter uma vida saudável, nem sempre é compatível. Neste blog, partilho todos os meus truques e dicas para melhorar o dia-a-dia de quem não tem tempo!

24 de Fevereiro, 2019

O meu primeiro brownie de cacau saudável

what makes me happy

Além de ser o meu primeiro brownie saudável, confesso que também foi o meu primeiro brownie de sempre. E não é que correu mesmo muito bem?!

 

Inspirei-me na receita do site @Frederica, da Vanessa Martins, fiz algumas adaptações que, na minha opinião, tornaram a receita ligeiramente mais saudável e também um pouco simples. Podem encontrar a receita original aqui: https://frederica.pt/2018/10/18/brownies-de-batata-doce-e-cacau/

 

Esta foi a minha versão:

INGREDIENTES

2 batatas doces assadas e esmagadas;

2 ovos M;

Puré de 1 maçã cozida;

1 colher de sopa de mel;

3 colheres de sopa de caucau;

1 colher de sopa de farinha de alfarroba;

3 colheres de sopa de farinha de côco;

 1 colher de fermento em pó (usei sem glúten).

 

PREPARAÇÃO

 À semelhança do original, comecei por bater os ovos e misturá-los com os restantes ingredientes líquidos e por fim, adicionei os sólidos. Aqueci o forno a 180º e após 20min estava pronto. Mais rápido e fácil impossível.

IMG_20190126_180602_HHT.jpg

 

NOTA: Apesar de estarem constantemente a serem apontados os benefícios do óleo de côco, também existem alguns malefícios. Independentemente disso, na minha opinião, gordura é gordura, e eu evito-a sempre que posso. Acho que, nesta receita o óleo é completamente dispensável pois o puré de maçã e a batata doce conferem bastante humidade e consistência à mistura. Não se deixem enganar pelos novos alimentos ditos "saudáveis". Ponderem sempre a sua utilização e garantam que as vossas escolhas vão de encontro às vossas necessidades nutricionais.

 

IMG_20190124_214313.jpg

 

Experimentem esta versão e a original também. Nunca uma sobremesa foi tão doce e tão saudável!

 

E não desistam de experimentar receitas que encontrem na Internet por não terem os ingredientes todos os casa. Façam adaptações e arrisquem!

17 de Fevereiro, 2019

Sugestões para evitar o desperdício alimentar

what makes me happy

Odeio estragar comida! Odeio, odeio, odeio! 

A forma que encontrei para utilizar aqueles legumes que estão quase no "limite" e que não ficam bem em qualquer refeição, é bastante simples: Salteados! É das refeições mais práticas de sempre, rápidas e que não precisam de grande ciência, nem mesmo de receita, basta alguma criatividade. 

Há cerca de um ano reduzi consideralvemente os hidratos de carbono na minha dieta por questões de saúde (Síndrome do Intestino Irritável  - tema para um futuro post), e desde então, os salteados passaram a ser uma presença assídua na minha alimentação. Podem utilizar só de legumes, e assim ficamos com uma óptima opção vegetariana, ou então podem adicionar proteína animal que mais gostarem.

Nos dias em que tenho algum tempo extra para preparar as refeições, gosto de arrojar um pouco mais, exemplo disso é esta sugestão, em que utilizei cogumelos portobello para rechear com o salteado. Beringelas e curgettes também são excelentes opções.

 Nota: Os cogumelos portobello que mais utilizou são os do Lidl, costumam vir em emblagens de 2, 3 ou 4, consoante o tamanho, e custam à volta de 1,80€ (em promoção chegam a custar 1,50€). É portanto uma opção bastante em conta. 

 Truque: Para retirar o interior dos cogumelos, costumo fazer uma quadricula com a faca (com suavidade, para não furar a base que queremos criar com o cogumelo) e depois retiro o interior com uma colher, preferencialmente de chá com curvatura acentuada, para facilitar o processo. Este truque também é bastante útil com beringelas e curgetes.

Como vos disse, não vão precisar de receitas, basta cortar todos os legumes que mais gostam e que têm em casa, fazer o salteado com um fio de azeite e temperar a gosto. Pessoalmente, costumo utilizar pimenta branca, gengibre e oregãos ou outra erva aromática. Não devem deixar muito tempo ao lume para não cozinhar em demasiado, porque a ideia é levar a gratinar no forno com queijo ralado (completamente opcional, mas eu não resisto). Vai ao forno até que o queijo fique tostado, pois os cogumelos cozinham bastante rápido.

IMG_20181025_195735[1].jpg

Além de ser rápida, é uma refeição bastante baixa em calorias e, na minha opinião, como tem uma variedade tão grande de legumes, não requer acompanhamento. Se optarem por utilizar proteína animal no salteado (frango, carne picada ou atum), vão sentir sensação de sasiedade durante muito tempo. Em caso contrário, também, mas obrivamente que depende das necessidades e hábitos de cada um.

É das minhas opções preferidas para levar na marmita. 

Como costumo utilizar imensos legumes, os cogumelos não têm capacidade para tanto recheio e por isso acaba por sobrar. Mas não há problema! Utilizo, agora sim com acompanhamento, como cuzcuz, bulgur ou mesmo arroz integral.

Espero que estas sugestões tenham sido úteis na gestão da vossa cozinha e que vos tenham inspirado a cozinhar opções mais saudáveis.